domingo, maio 30, 2010







terça-feira, maio 25, 2010


Quente olhar

Não posso olhar
Nos teus olhos
Se olhar…
Corro risco
De queimar
De paixão

Então miro
Os olhos
Discreto
No teu doce
Coração

Procurando
Desviar-me
Dos teus olhos
Da fogueira
Da paixão

Para entrar
Tranquilo
Nos teu peito
Doce
Paixão

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Ao Copiar esta poesia cite o autor

segunda-feira, maio 24, 2010

É preciso olhar...

Vamos olhar o céu
Contemplar as nuvens
A lua
As estrelas
O azul infinito
E sentir na alma
A magia,
O sorriso,
O amor puro e bonito

Vamos olhar a terra
Contemplar a natureza,
Os pássaros
As matas
O verde favorito
E sentir no peito
A alegria,
O paraíso,
O deleite suave e bendito

Vamos olhar o homem
Contemplar a sociedade
As lutas
As dificuldades
O sonho erudito
E sentir no corpo
A ironia
O desejo
O canto doce e contrito

Vamos olhar os mares
Contemplar as ondas
Os peixes
As sereias
O coral benquisto
E sentir na pele
A areia
O sal
O sol suave e malvisto

Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

OBS:. Ao copiar esta poesia cite o autor

domingo, maio 16, 2010

Sedução