sábado, junho 25, 2011

Amor

sexta-feira, junho 24, 2011

Nosso Amor

Foto google
Nosso Amor

Queria falar tudo sobre o nosso amor
Elevá-lo ao mais alto grau de pureza
Elogiá-lo como mereces ser elogiado
Transformá-lo em rimas e em versos
Levá-lo ao pódio da agradável paixão
Cantá-lo em forma de música suave
E tantas, tantas, tantas outras coisas
Mas, não é fácil como todos dizem
Nosso amor é tão profundo, tão belo
Que não há gesto que o caracterize
Com a mais perfeita e pura perfeição
Que em sua natural inocência exige
Por isso, tento sem êxito decantá-lo
A cada instante da minha calma vida
Vivida como se fossem os derradeiros,
Últimos momentos da nossa existência


Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Ao copiar esta poesia cite o autor

Amor

Foto Lucia Velázquez Dominguez

Amor

Eu te amo
Como um oceano revolto
Nossos dias são perfeitos
Nossas noites infindáveis
E as tempestades de amor
Que fazem as ondas do coração
Se tornarem revoltosas
São lindas e altas
Como as chamas da paixão
Aquelas furiosas que acendem
Nossos mais íntimos sentimentos
Levando-nos ao paraíso
Da mais pura e inocente felicidade
Que desfrutamos

Nas horas lindas de amor
Que passamos juntos e esquecemos
Que existe um mundo lá fora


Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

quinta-feira, junho 23, 2011

Uma declaração

Foto Ana Paula

Uma declaração

Te ver é um paraíso
Te beijar um sonho
Te ouvir uma delícia
Te cantar um encanto
Te amar é uma realização
De todas as minhas pretenções
Que nutro por você

Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

Minha Flor

Foto google

Minha Flor

Não consigo
Deixar de sentir
Por você
Este amor tão lindo
Que deixa as minhas mãos
Suadas
Os meus pensamentos
Confusos
Os meus olhos
Fixos
O meu coração
Acelerado
O meu corpo
Trêmulo
E, apesar de querer tanto
Não faço força pra esquecer


Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Caminhar

Amor platônico

Foto Flávia Rejane

Amor platônico

Eu te amei ardentemente

Tudo era lindo,
Perfeito,
Suave, doce...
E esperado
por todos
Que se tornasse
Um grande amor

Mas…

Não fui forte
o bastante
Para deixar os sentimentos
Fluírem

E então
Tudo se foi
Deixando apenas
Lembranças perfeitas
De um possível amor

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Revoluções Amorosas

Foto google

O mundo mudou
E os sentimentos se perderam

As declarações de amor

Ficaram trancadas nos livros
A sete chaves

As verdades sumiram
O amor foi extinto

A felicidade banida
O respeito?
Despido de sua pureza

Foi guardado nos porões imundos

Longe dos seres

Impedindo a renascença

Da pureza dos sentimentos

Dando lugar a paixão

O fogo que queima a alma

Cegando os seres
Tornando-os irracionais
A ponto de dizer:

EU TE AMO

Como se fosse um mero
BOM DIA

Criando a incerteza

Da felicidade

E a perca da credibilidade

Nos sentimentos

Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

Sempre vou te amar

Foto google

Sempre vou TE AMAR

Sei que estas tão longe
E continuas a me amar
Quando você se foi
Não sabia o que sentia
Mas sei agora
Sinto um lindo amor
E quero tanto te dar
Não importa se estas longe
O que Importa
É que meu coração chora
Querendo te amar
E mesmo que a solidão
Tente meu peito
Eu sempre vou te amar

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Distância

Foto google

Distância

Meu amor
Estou tão triste
Meus olhos lacrimejam
De saudades dos teus
Que fascinam minha vida
E levam o meu coração
Alçar voos infinitos
Rumo a um mundo encantado
Onde as felicidades são constantes
E os abraços eternos
De amor e paixão

Meu amor
Estou tão triste
Sem ti
Minha vida não tem sentido
Sou apenas um zumbi
Que vaga o infinito
Sem rumo
Procurando
Encontrar os teus olhos
Para dar vida ao meu coração
Que tanto te ama


Mario de Almeida
O poeta castanhalense

sábado, junho 18, 2011

O AMOR

Foto google

O AMOR

À medida que o tempo passa
Meu amor cresce por você
Cresce tanto que choro
Quando não consigo te ver

Nessas horas…
Grito para todo mundo
TE AMO, TE AMO
Você é o sentido do meu viver
Sem ti vou morrer

E tu, sorrindo…
Corre ao meu encontro
Para me socorrer

Dar-me doces beijos
Fazendo meu peito reviver
Restabelecendo o oxigênio
Que só encontro
Em você

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Ao copiar esta poesia cite o autor.

As cores do Amor

Foto google
As cores do Amor

As cores estão vivas

Nas flores que cantam e voam

Em forma de versos alados

Aqueles de assas infinitas

De penas alvas

Que flutuam no espaço
Levando alegrias e notícias
De amores eternos
A todos que contemplam
O infinito sentimento

Pinchado nas cores perfeitas

Do amor


Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

sexta-feira, junho 17, 2011

Você, você, você

Você, você, você

Você, você, você
É a estrela que me faz viver
É o astro que me leva ao anoitece
É a sereia que saiu do mar
Para me fazer enlouquecer
De amor
Por você

Você, você, você
É o amor que sonho com prazer
É a alegria do meu viver
É o mais doce amor
Que veio me trazer
A felicidade
Com você

Você, você, você
É a lua que me encanta
É o céu que me fascina
É a escuridão que me toma
Levando-me sentir
Saudades
De você

Você, você, você
É o puro amor
É a infinita fonte
É a mais bela flor
Que me faz viver
BEIJAR
Você

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

Sonho

Foto google
Sonho

Passei a noite
Sonhando com você
O sonho era tão lindo
Um conto de amor
Em forma de versos
Feitos para viver
A maior alegria
Sentindo no peito
O amor
O sentimento tão puro
Aquele que faz
O coração reviver
Sorrir tão lindo
Amar você

Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

quarta-feira, junho 08, 2011

Quero Você

Foto Carla
Quero Você

Quero viver
Quero sentir
Quero você
Perto de mim

Quero cantar
Quero sorrir
Quero te amar
Até o fim

Quero ouvir
Quero falar
Quero te ver
Dentro de mim

Quero correr
Quero curtir
Quero te ter
Enfim

Num beijo
Tão belo
Tão doce
E sem fim

Mario de Almeida
O poeta castanhalense

sábado, junho 04, 2011

Encontro



Encontro...

Sorridente, fui ao teu encontro

Chegando a sua casa

A vi sentada, feliz

Vestida com uma saia cinza
Uma blusa preta

Com um sorriso lindo nos lábios

Contemplei aquela cena
Mas não consegui controlar a emoção

Que tomou conta de mim

Naquele instante, corri e a beijei

Um beijo profundamente apaixonado

Que encheu minha vida
De amores e felicidades

Fazendo-me declarar

Meus sentimentos

Meus sonhos,

Minhas pretensões,

Meus desejos…
De está pra sempre com você


E você sorrindo aquele sorriso doce

Balbuciou palavras lindas

Levando-me as nuvens

Para perto da lua perfeita

Para agradecer e deliciar

Aquele maravilhoso momento


Mario de Almeida
O poeta castanhalense
Ao copiar esta poesia cite o autor

Tu, Meu Amor


Tu, meu amor

És a estrela que anda no céu
Iluminando a vida dos seres
E transformando a alma e o poeta

Seu brilho é especial,
Profundo e belo
Quanto o sentimento que brota
Levando-nos ao paraíso

Sua beleza é esplêndida
Seu coração é inocente
Sua alma é pura
Como o néctar
Dos amores eternos
E das felicidades constantes

Seus olhos são brilhantes
Como os astros celestes
Que deleitam os seres
Em noite de luar
Criando desejos infindáveis
De alegrias e esperança
De viver para sempre ao teu lado

Tu, meu amor
És a estrela da minha vida
Aquela que brilha sem parar
Que irradia a felicidade
Fazendo-me amar


Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

Nunca Pude


Nunca pude

Nunca pude
Na minha vida, dizer a você
Tudo o que estar aqui dentro
Do meu coração e da minha alma

Nunca pude expor
O que há de mais belo de você
Em meu viver
E na minha existência...

Nunca pude abraçá-la, beijá-la...
E ser feliz ao teu lado
Em tua essência

Nunca pude dizer: amo você
E que és o único e eterno amor
Da minha vida

Nunca pude pegar em suas mãos,
Ser feliz e apreciar o luar do verão
E frio do inverno ao te lado...

Nunca pude fazer tudo isso
Apenas por um único motivo
Amo-te e não tenho coragem
Para te declarar
Esse amor por você.

Mário de Almeida
O poeta castanhalense
23.06.2005 às 15h12min

Ao copiar esta poesia cite o autor
Adeus

Se tu vai para longe
Não fique triste meu bem
Quem vai, sempre volta também
Trazendo alegrias, muito além
Do esperado meu bem

Mario de Almeida
O poeta castanhalense
Ao copiar a poesia cite o autor

Teus Olhos

Foto: Raiza Leite
Teus Olhos

Tento não lembrar
Dos teus olhos

Mais eles me perseguem
Onde estou eles estão

Sempre lindos e perfeitos

Como a flor sedução

Que sorrindo abriu

O meu peito

Deixando nos meus olhos

A mais doce paixão


Mario de Almeida
O poeta Castanhalense

Ao copiar a poesia cite o autor